A dose surgiu da vontade de iniciar um projeto que valorizasse os trabalhos que estão a ser criados agora, independentemente da sua posição na cena artística e de qualquer contexto académico.

Esta ideia evoluiu para a criação de uma revista: que fosse de arte e não sobre arte, que fosse acessível a todos e não só a alguns, que incentivasse a experiência artística como experiência sensível e não como raciocínio teórico.


Sobre a dose:

- A dose compila trabalhos de 12 artistas, que são convidados a desenvolverem um projecto que se ramifique em dois: um trabalho para a revista física e um trabalho para o site;
- A dose é monocromática e cada número terá uma cor diferente;
- A dose não é uma revista temática: é dada total liberdade conceptual e de meios aos artistas.